Menu

Louvor e 
Adoração 

02 JAN 2017
02 de Janeiro de 2017

Um advogado cristão de defesa dos Direitos Humanos, que ficou desaparecido após ser levado sob custódia da polícia na China, foi liberto na última terça-feira (29). Zhang Kai - que passou dois dias desaparecido - está agora na companhia de seus pais, no norte da Mongólia Interior (região autônoma da China).

Kai, que trabalhou com pastores cristãos protestando contra o programa de remoção de cruzes das igrejas da China, foi "intimado" a prestar depoimento em uma delegacia de polícia local, no dia 27 de dezembro e foi forçado a permanecer dois dias sob custódia no local.

Sua irmã, Zhang Yan, disse a fontes que trabalham com a organização cristã 'China Aid', que ele frequentemente recebe estas "convocações". Ele ainda está pagando fiança, em razão de uma detenção anterior.

No entanto, a família ficou particularmente preocupada desta vez, porque ele permaneceu sem fazer contato por 48 horas.

A situação do advogado mais uma vez despertou a atenção internacional, depois que sua mãe chamou chamou a atenção para o caso na internet.

Um usuário de mídia social especulou: "Eles podem fazer algo como fizeram a Yang Hua e moldá-lo com algo, envolvendo segredos de Estado, usando isso como um meio para prendê-lo".

Zhang Yan disse que seu irmão estava tentando ficar longe de problemas e passou um tempo recolhido.

Kai foi encarcerado em 2015 e depois liberto sob fiança no início de 2016, depois que ele "confessou" o crime deperturbar a ordem pública e pôr em perigo os segredos de Estado.

Ele foi condenado a retornar a uma delegacia de polícia em Hohhot, na Mongólia Interior, em 27 de dezembro. Ele foi levado sob custódia e tanto sua mãe como sua irmã receberam visitas de funcionários da segurança que lhes disseram que sua libertação dependia de sua "disposição para cooperar" [com o governo].


Contexto
A mãe de Kai disse à 'China Aid' que os serviços de segurança tinham procurado a ela e sua filha para ter uma "conversa". Ela disse na época: "Eles nos pediram para persuadir Zhang Kai para manter a calma e cooperar com eles. Ele pode ir para casa ou não. Isso vai depender de sua atitude".

"Nossa família está esperando ansiosamente. Eu espero que Zhang Kai retorne com segurança. Por favor, prestem atenção a isso. É urgente", acrescentou ela no tempo em que ele esteve preso.

Fundador e presidente da 'China Aid', Bob Fu também é amigo de Zhang Kai e descreveu-o como um "corajoso advogado de direitos humanos".

A 'China Aid' expõe abusos, como os sofridos por Zhang Kai, com o objetivo de promover a liberdade religiosa, os Direitos Humanos e o Estado de direito.

fonte : site guiame

Voltar


Tenha você também a sua rádio